Foram realizados, com êxito, seis fóruns paralelos durante o 11.º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas, abrangendo temas de diferentes áreas, como desenvolvimento de infra-estruturas internacionais, finanças, tecnologia e formação de quadros qualificados, tendo ainda abordado questões relacionadas com a cooperação África–China–Europa em infra-estruturas, com a construção da Grande Baía Guangdong–Hong Kong–Macau e com a cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Durante o Fórum, muitos dos convidados partilharam as suas perspectivas inovadoras sobre os tópicos em discussão.

Interligação entre regiões da Grande Baía estimula oportunidades de cooperação em infra-estruturas

No fórum paralelo subordinado ao tema “Construção da Área da Grande Baía Guangdong–Hong Kong–Macau — Desafios e Oportunidades da Indústria de Construção de Macau”, os convidados abordaram sobre assuntos correntes, nomeadamente o planeamento de interligação de infra-estruturas na Grande Baía, oportunidades, desafios e modelos inovadores de cooperação trazidos pelo desenvolvimento económico inter-regional na cooperação em infraestruturas e como Macau desempenha um papel activo no desenvolvimento de infra-estruturas transfronteiriças. A vice-presidente da Associação dos Construtores Civis Internacionais da China, Yu Xiaohong, destacou, durante o seu discurso, que a Grande Baía Guangdong–Hong Kong–Macau é uma das regiões chinesas com maior abertura e dinâmica em termos económicos. Com o crescimento do volume de transacções comerciais e do fluxo de pessoas e de capitais entre as regiões próximas da Grande Baía, o nível de exigência, em termos da capacidade de carga das infra-estruturas com ligação inter-regional, irá igualmente aumentar, o que proporcionará novas oportunidades para a cooperação nesse sector na Grande Baía.

Por outro lado, o vice-director da Companhia de Engenharia Porto da China, Limitada, Wu Di, revelou, no seu discurso, que as oportunidades de desenvolvimento do sector da construção de Macau se encontram na Grande Baía, mais precisamente em Hengqin, tendo o responsável partilhado quatro princípios para o desenvolvimento e estabelecimento de negócios das empresas do sector de Macau na Grande Baía: estar ciente do rumo de desenvolvimento das novas infra-estruturas, com vista à construção activa de uma cidade inteligente; dominar os principais conceitos dos novos rumos de desenvolvimento, à base de um planeamento verde sustentável; atender às necessidades do desenvolvimento diversificado de Macau, com reforço da capacidade de importação na indústria e nas empresas de construção; e aproveitar a oportunidade de desenvolvimento proporcionada em Hengqin para a promoção da cooperação e do desenvolvimento em conjunto.

Fortalecimento da cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa no período pós-epidemia

Com o objectivo de consolidar a capacidade conjunta de resposta da China e dos Países de Língua Portuguesa face ao período pós-epidemia e fortalecer a sua relação de cooperação, contribuindo para a recuperação do desenvolvimento socioeconómico de ambas partes, os representantes provenientes do Interior da China, dos Países de Língua Portuguesa e de Macau desenvolveram, através de partilha de informações relativas à realidade empresarial de cada região, debates sobre modelos inovadores de cooperação destinados a benefícios mútuos, no fórum paralelo “Seminário de Promoção do Investimento em Países de Língua Portuguesa”. Durante o seu discurso, o Dr. Ding Tian, Secretário-Geral Adjunto do Secretariado Permanente do Fórum de Macau, explicou que os projectos de infra-estruturas exigem, por norma, um longo processo de investimento, um elevado volume de capital investido e um alto nível de tecnologia aplicada, pelo que as infra-estruturas de grande escala dependem sempre de cooperações internacionais. As infra-estruturas têm sido uma área tradicional e prioritária de cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa, com uma longa experiência de sucesso em diversos aspectos tais como transporte, comunicações, conservação de água e energia eléctrica, o que permitiu benefícios tangíveis a todas as partes envolvidas.

Durante a sessão, os representantes de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste apresentaram, sob a forma online e offline, o ambiente e as oportunidades de investimento do seu país, incluindo o respectivo plano de desenvolvimento local, e promoveram os seus principais projectos, resultados e protótipos de planeamento, investimento e cooperação.


Participantes em fóruns paralelos

Participantes em fóruns paralelos


Os convidados partilham as suas perspectivas inovadoras durante os fóruns.

Os convidados partilham as suas perspectivas inovadoras durante os fóruns.