República Federativa do Brasil

República Federativa do Brasil, habitualmente conhecida como Brasil, está localizada no sudeste da América do Sul, faz fronteira a norte com a Guiana Francesa, o Suriname, a Guiana, a Venezuela e a Colômbia, a este com o Peru e a Bolívia; a sul com o Paraguai, a Argentina e o Uruguai; e a leste é banhada pelo Oceano Atlântico. Com uma área total de 8.510.295 quilómetros quadrados e uma população de mais de 210 milhões de habitantes, é o maior e o mais populoso país da América Latina, é ainda o quinto maior país em termos de território e o sexto país mais populoso do mundo. A língua oficial do Brasil é o português e os seus habitantes são maioritariamente católicos e cristãos. O Brasil é constituído por 26 Estados e um Distrito Federal, sendo os Estados divididos em municípios, há num total de 5.570 municípios no país. A sua capital é Brasília, o centro político do país, e São Paulo, a maior cidade, é o centro de comércio, finanças e transportes do Brasil.

O sistema jurídico brasileiro é bastante completo, o Brasil possui uma enorme capacidade de mercado, volume de recursos e influência no mercado internacional, detém um enorme potencial em termos de desenvolvimento económico. Nos últimos anos, para dinamizar a economia, o governo introduziu uma série de reformas a fim de reduzir os custos das empresas e prosseguir uma maior abertura do mercado. O Brasil estabeleceu relações diplomáticas com 192 países. Actualmente, é membro de organizações internacionais e regionais como a Organização das Nações Unidas (ONU), a Organização Mundial do Comércio (OMC), a Organização dos Estados Americanos (OEA), o Mercado Comum do Sul (Mercosul), a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e membro de mecanismos multilaterais como o Grupo dos Vinte (G20), os BRICS e o Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Situação geral sobre a cooperação económica e comercial entre a China e o Brasil

No dia 15 de Agosto de 1974, a China e o Brasil estabeleceram relações diplomáticas. Em 1993, os dois países definiram uma relação de parceria estratégica e, em 2012, esta foi aprofundada para uma parceria estratégia abrangente. Desde o estabelecimento de relações diplomáticas, os dirigentes de alto nível dos dois países têm realizado intercâmbio frequente, aprofundando a cooperação no âmbito dos assuntos internacionais, nas organizações internacionais e nos mecanismos multilaterais, mantendo, igualmente, uma boa comunicação sobre questões internacionais importantes, como a reforma do sistema financeiro internacional, as alterações climáticas, o desenvolvimento sustentável, etc. Além das embaixadas que existem em ambos os países, a China tem consulados-gerais em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, e o Brasil dispõe de consulados-gerais em Xangai, Cantão e Hong Kong.

As relações económicas e comerciais bilaterais entre a China e o Brasil têm registado grandes progressos. Desde 2009, a China tem sido o maior parceiro comercial do Brasil durante dez anos consecutivos. Em simultâneo, o Brasil é o maior parceiro comercial da China na América Latina e nos países do BRICS. Segundo as estatísticas do Fundo Monetário Internacional (FMI), em 2019, o comércio bilateral entre a China e o Brasil atingiu aproximadamente cem mil milhões de dólares. Em termos de investimento, o investimento chinês no Brasil reflecte-se nomeadamente em sectores como energia, exploração mineira, agricultura, infra-estruturas e indústria transformadora. O investimento brasileiro na China inclui principalmente projectos em áreas como produção de compressores, carvão, sector imobiliário, produção de peças de automóveis, sector têxtil e de vestuário, etc. Além disso, as empresas chinesas iniciaram projectos de construção de infra-estruturas de grande dimensão no Brasil, tais como centrais termo-eléctricas, linha de transmissão de energia em ultra-alta tensão, gasoduto de gás natural, dragagens portuárias, etc.

A China e o Brasil têm vindo a realizar acções de intercâmbio e cooperação nos domínios de política, comércio, justiça, turismo, transportes, ciência e tecnologia, cultura, educação, entre outros, tendo sido celebrados mais de 100 documentos de cooperação relevantes. Em áreas como a aeroespacial, a meteorologia e a biotecnologia, destaca-se o projecto de investigação conjunta da Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres, que é considerado como o modelo de cooperação Sul-Sul. Neste âmbito, já foram lançados com sucesso quatro satélites, sendo os dados amplamente utilizados na África, na América do Sul e na região Ásia-Pacífico e as imagens de satélite disponibilizadas gratuitamente a vários países da África e da Ásia. Para além disso, o Brasil é o país da América Latina com quem a China criou mais laboratórios conjuntos. Os dois países estabeleceram o Labex (um laboratório na área da Agricultura), o Centro China – Brasil de Mudança Climática e Tecnologias Inovadoras para Energia, o LNNano (um centro de investigação de nanotecnologia), o Laboratório Sino-Brasileiro para Clima Espacial na América do Sul, o Centro de Satélite Meteorológico e está em processo a criação do Centro de Biotecnologia.

Informações sobre as oportunidades comerciais do Brasil

O Brasil possui vastos recursos mineiros, de solo, florestais e hídricos. Em termos de recursos minerais, é o maior detentor da reserva mundial de 29 minerais, como nióbio, manganês, titânio, bauxita, chumbo, estanho, ferro, urânio, etc. Entre eles, a reserva provada de nióbio é de 4,55 milhões de toneladas, representando mais de 90% do total da produção mundial. A reserva provada de petróleo é de 15,3 mil milhões de barris, posicionando-se no 15.º lugar a nível mundial e 2.º na América Latina, seguido da Venezuela. A respeito dos recursos florestais e hídricos, a sua cobertura florestal é de 62% e a sua reserva de madeira é de 65,8 mil milhões de metros cúbicos, o que representa um quinto das reservas mundiais. O Brasil é bastante rico em recursos hídricos, detendo 18% das reservas de água doce do mundo.

Brasil tem, igualmente, uma base de indústrias relativamente sólida, sendo o mais forte da América Latina. De entre as suas indústrias, a energia nuclear, a comunicação, a indústria electrónica, a manufactura aeronáutica, os biocombustíveis e outras indústrias estão bastante bem posicionados a nível mundial.

Quanto à agricultura, o Brasil possui mais de 180 milhões de hectares de terras aráveis, 76,7 milhões de hectares de terras cultivadas e 172,3 milhões de hectares de pastagens. É o maior produtor mundial de café, cana de açúcar, citrinos e feijões, o segundo maior produtor mundial de culturas geneticamente modificadas, o primeiro produtor de soja e o quarto maior produtor de milho. Para além disso, também é o maior exportador mundial de carne bovina e frango.

O sector dos serviços é igualmente importante para o desenvolvimento da economia brasileira, sendo não só o sector com o maior valor de produção, mas também o sector que cria mais oportunidades de emprego. Os principais sectores incluem o imobiliário, leasing, turismo, finanças, seguros, informação, publicidade, consultoria, serviços técnicos, etc. Entre estes, o sector de turismo é o que tem maior competitividade a nível internacional.

 

Principais Indicadores Económicos 2018

PIB (Taxa de câmbio internacional) (Mil milhões de dólares americanos) 1,885
PIB per capita (Taxa de câmbio internacional) (Dólares americanos) 8,920.80
Crescimento efectivo do PIB (Percentagem) 3
Taxa da inflação (Percentagem) 3.7
Área de terrestre (Km²) 8,510,820
População 209,469,333

Fonte: 1. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, https://www.ibge.gov.br/en/home-eng.htm

 

Major Trading Partners of Brazil (2019)

Principais destinos Total de exportação Percentagem (%)
de exportação (Milhões de dólares americanos) 28,0
China 62.265,9 13,3
Estados Unidos da América 29.539,5 4,5
Países Baixos 9.995,3 4,3
Argentina 9546,9 Percentagem (%)
Principais fontes Total de importação 19,9
de importação (Milhões de dólares americanos) 17,2
China 37.385,9 6,0
Estados Unidos da América 32.234,2 5,8

Fonte: Fundo Monetário Internacional, https://www.imf.org/en/Data

 

Estatísticas do Comércio Exterior de Angola

(milhões de dólares americanos)

Ano Total de exportação e importação Total de exportação Total de importação
2019 410.173,5 222.199,9 187.973,6
2018 432.329,7 242.363,3 189.966,4

Fonte de informação: Fundo Monetário Internacional, https://www.imf.org/en/Data

 

Estatísticas do Comércio de Importação e Exportação entre Macau e o Brasil

(Dólares a)

Ano Total de exportação e importação Total de exportação Total de importação
2019 64.875.027 64.94 64.810.084
2018 57.363.870 5.04 57.358.828

Nota: Taxa de câmbio de Dólar americano para Pataca de Macau é de 1: 8
Fonte de informação:
Direcção dos Serviços de Estatística e Censos do Governo da RAEM, https://www.dsec.gov.mo/

 

Fontes de informação:

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
https://www.ibge.gov.br/en/home-eng.htm

Banco Mundial
https://data.worldbank.org/

Fundo Monetário Internacional
https://www.imf.org/en/Data

Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Popular da China
https://www.fmprc.gov.cn/

Direcção dos Serviços de Estatística e Censos do Governo da RAEM
https://www.dsec.gov.mo/