15th 15.º Aniversário do Estabelecimento do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau)

Tin298_p2a

Devido a motivos históricos, Macau encontra-se a assumir o papel de plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Em Outubro de 2003, sob a iniciativa do Governo Central da República Popular da China realizou-se em Macau a 1.ª edição da Conferência Ministerial do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) (adiante designada abreviadamente por “Fórum de Macau”). Até à data foram já organizadas em Macau, cinco edições da referida Conferência, todas elas coroadas de sucesso. Ao longo desses anos, o Governo da RAEM tem cooperado activamente na concretização dos objectivos constantes dos planos de acção delineados nas cinco conferências ministeriais do Fórum de Macau, envidando os melhores esforços no sentido de potenciar as vantagens de Macau nos domínios linguístico, cultural e de serviços de informações, para se tornar a ponte de ligação entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Avanço pragmático dos trabalhos relacionados com a construção da plataforma sino-lusófona

Os territórios da China e dos Países de Língua Portuguesa abrangem quatro continentes, nomeadamente, Ásia, África, Europa e América Latina, com uma população acima de 1,6 mil milhões, correspondente a 20% do total da população mundial, e representando 17,5% do PIB de todo o mundo. Possuindo ricos recursos de modo global, destaca cada um desses países as próprias vantagens, evidenciando forte complementaridade multilateral e vastas perspectivas de cooperação. De acordo com os dados, a China já se tornou, presentemente, o maior parceiro comercial dos Países de Língua Portuguesa. Em 2002, antes da fundação do Fórum de Macau, as trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa eram de aproximadamente 6 mil milhões de dólares americanos, e até 2017, o comércio bilateral já atingiu a fasquia dos 117,6 mil milhões de dólares americanos, correspondente a um aumento de cerca de 20 vezes. O valor do investimento directo da China nos Países de Língua Portuguesa, que era de 56 milhões de dólares americanos em 2003, aumentou para 5,699 mil milhões de dólares americanos em 2016, o que equivale a um crescimento superior a 100 vezes.

No âmbito do Fórum de Macau, encontra-se a ser acelerada a construção da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, assumida por Macau. De destacar que, foi criada em 2016 a Comissão para o Desenvolvimento da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, e foram também já alcançados avanços no tocante à construção dos “Três Centros”, i.e., o Centro de Serviços Comerciais para as Pequenas e Médias Empresas da China e dos Países de Língua Portuguesa, o Centro de Convenções e Exposições para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e o Centro de Distribuição dos Produtos Alimentares dos Países de Língua Portuguesa, os quais, conjugados com o Portal para a Cooperação nas Áreas Económica, Comercial e de Recursos Humanos entre a China e os Países de Língua Portuguesa, desenvolvem os seus efeitos sinergéticos, tantos em termos de online como offline. A sede do Fundo da Cooperação para o Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa foi já transferida para Macau. Foram também já iniciados os trabalhos inerentes ao desenvolvimento de serviços financeiros com características próprias, e estando também a progredir, de forma ordenada, a construção da plataforma de serviços financeiros para a cooperação comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e a compensação em renminbi (moeda chinesa) para os Países de Língua Portuguesa. Estão igualmente a ser aceleradas as medidas inerentes, nomeadamente: a fundação da Federação Empresarial da China e dos Países de Língua Portuguesa e construção do Complexo da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Entretanto, foi oficialmente criado e já entrou em funcionamento o Centro de Intercâmbio de Inovação e Empreendedorismo para Jovens da China e dos Países de Língua Portuguesa. Também se encontra a progredir aceleradamente a Base de Formação de Talentos Bilingues Chinês-Português.

Tin298_p2b

Seminário sobre a Construção de Infra-estruturas entre a China e os Países de Língua Portuguesa

Tin298_p2c

A exposição de fotografias de eventos do Fórum de Macau teve lugar em Junho do corrente ano em Lisboa

Tin298_p2d

A construção da plataforma de cooperação sino-lusófona proporciona oportunidades para as empresas do Interior da China, de Macau e dos Países de Língua Portuguesa

Macau desenvolve as suas próprias vantagens visando promover a cooperação sino-lusófona

Graças ao ambiente de negócios livre e aberto, aliado aos laços estreitos com os países lusófonos, Macau, embora uma cidade de pequena dimensão, possui vantagens tais como a integração das culturas da China e dos países lusófonos, sendo as línguas oficiais de Macau as línguas chinesa e portuguesa. Macau é também o ponto de convergência dos talentos bilingues em chinês e português e das associações comerciais e representantes dos Países de Língua Portuguesa. As empresas constituídas em Macau não só desfrutam dos benefícios oferecidos por Macau enquanto porto livre, território aduaneiro autónomo e com carga fiscal reduzida, como têm também ao ser dispor facilidades de acesso aos serviços profissionais de intermediação e informações mais recentes sobre os países lusófonos, factores esses que lhes poderão ajudar a expandir-se para o exterior, designadamente para os mercados dos países lusófonos.

No decurso da sua construção como plataforma sino-lusófona, Macau poderá proporcionar inúmeras oportunidades de negócio para as empresas locais, do Interior da China e dos Países de língua Portuguesa. Podem as empresas, especialmente nos domínios de comércio de mercadorias, comércio de serviços e investimentos no exterior, agarrar as oportunidades derivadas da plataforma sino-lusófona.

Com vista a articular-se com as necessidades do nosso país, ao participar na implementação da iniciativa “Faixa e Rota” e construção da Região Metropolitana da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, a RAEM tem por base o Fórum de Macau, desenvolvendo amplamente as suas vantagens enquanto local permanente do Fórum e do seu Secretariado, impulsionando ao mesmo tempo, a construção da plataforma sino-lusófona, com vista a aprofundar continuamente a cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, bem como os países e zonas abrangidos pela iniciativa “Faixa e Rota”.

Tin298_p3a

Inauguração do Fórum Cultural entre a China e os Países de Língua Portuguesa

Tin298_p3b

A sede do Fundo da Cooperação para o Desenvolvimento China-Países de Língua Portuguesa foi estabelecida em Macau

Tin298_p3c

Realizou-se em Macau o Seminário sobre o 15.º Aniversário do Estabelecimento do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) e a Construção da Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa