REINO DA ARÁBIA SAUDITA

O Reino da Arábia Saudita localiza-se na Península Arábica, no Médio Oriente. O país é limitado pelo golfo Pérsico a leste e pelo Mar Vermelho ao oeste. Partilha também fronteiras terrestres com a Jordânia, o Iraque, o Kuwait, os Emirados Árabes Unidos, Omã e o Iémen. Com uma superfície de 2.149.690 km², é o segundo maior país árabe do mundo, logo a seguir à Argélia. Em 2017, o país tem uma população estimada em 32,4 milhões. A capital da Arábia Saudita é Riade. A língua oficial é o árabe.

O petróleo é a indústria-pilar da economia saudita que é maioritariamente dirigida pelo governo. Tendo as segundas maiores reservas de petróleo do mundo, apenas atrás do Canadá, a Arábia Saudita não é apenas o maior país exportador de petróleo, mas também um dos membros principais da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e o único país árabe que faz parte do Grupo dos 20 (G20). Cerca de 89 por cento das receitas totais do Estado e 90 por cento do valor acrescentado das exportações vêm da indústria petrolífera, a qual compõe também cerca de 43 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O sector de serviços e a agricultura representam, respectivamente, 55 por cento e 2 por cento do PIB do país.

Desde a adesão à Organização Mundial do Comércio (OMC) em Dezembro de 2005, o país tem sido beneficiado pelo aumento do preço internacional do petróleo, sendo as receitas da exportação de petróleo abundantes, ajudando a economia a manter um rápido crescimento. O governo saudita impulsiona também a construção e a reforma de infra-estruturas e de diversas unidades de produção, empenhando-se amplamente no desenvolvimento das áreas de infra-estrutura, saúde e educação, procurando acelerar a diversificação da estrutura económica, a “sauditização” da força laboral e a privatização da economia. Ao mesmo tempo, o país desenvolve o sector não-petrolífero tais como a mineração e a indústria ligeira, encorajando o progresso da agricultura, da pesca e da pecuária, a fim de atrair investimento estrangeiro e consolidar a economia nacional.

Com a queda brusca nos preços de petróleo, o país registou pela primeira vez um défice orçamental em 2014. Em resposta, o governo saudita vai permitir à empresa estatal de petróleo listar-se em bolsa no ano de 2018. Além do mais, são apresentados no programa de desenvolvimento “Visão 2030” os aspectos da abertura de sectores privados como a educação e o tratamento médico, o incentivo para o desenvolvimento do turismo e da indústria de entretenimento, além da aposta nas energias renováveis para garantir 10 por cento do abastecimento eléctrico no país. São também considerados como sectores de grande potencial a mineração, a indústria militar e o turismo. Simultaneamente, esta estratégia tem como objectivo atrair investidores estrangeiros, fomentar o desenvolvimento da economia privada e reduzir a dependência da economia do reino face à exportação de petróleo.

Em 2016, o investimento directo estrangeiro acumulado na Arábia Saudita rondou os US$231,5 mil milhões, um aumento de 31,3 por cento em comparação com 2010. De acordo com os dados do Ministério de Comércio da República da Popular da China, até ao final do ano de 2016, o valor acumulado do investimento directo da China na Arábia Saudita aumentou de US$760,6 milhões em 2010 para US$2,4 mil milhões. Em 2017, o preço global e a produção de petróleo têm diminuído. Nesse âmbito, o crescimento do PIB da Arábia Saudita caiu fortemente de 4,1 por cento em 2015 para 1,4 por cento em 2016.

Recursos
As reservas de crude no país ascendem a 36,2 mil milhões de toneladas, sendo responsável por cerca de 16 por cento das reservas globais, ou seja as segundas maiores do mundo. As reservas de gás natural do país ascendem a 291 triliões de metros cúbicos, o que coloca o país no quinto lugar a nível mundial. Além do mais, a Arábia Saudita possui recursos minerais tais como ouro, cobre, ferro, estanho, alumínio, zinco e fosfato, sendo também conhecida como o maior país produtor de água dessalinizada, com cerca de 20 por cento do total mundial.

Indústria
O petróleo e a indústria petroquímica são a artéria vital da economia saudita. As receitas de petróleo representam mais de 70 por cento das receitas financeiras do Estado e 42 por cento do PIB. Nos últimos anos, o governo tem utilizado plenamente os recursos abundantes de petróleo e gás natural, tendo introduzido tecnologia estrangeira e equipamentos avançados e desenvolvendo o sector não-petrolífero como ferro e aço, fundição de alumínio, cimento, dessalinização, energia elétrica, agricultura e sector de serviços, entre outros. Deste modo, o governo tem vindo a alterar de forma gradual a estrutura económica monolítica que depende apenas de petróleo.

Agricultura
Cerca de 70 por cento do território da Arábia Saudita é composto de terra semi-árida ou pastagens erodidas. O solo cultivável ocupa somente 1,6 por cento da área total, com cerca de 34.500 km², enquanto a pastagem permanente ocupa aproximada mente 1,9 por cento do território nacional, com cerca de 37.805 km². O país tem, além disso, uma baixa cobertura florestal. A superfície arborizada ocupa apenas 1,4 por cento da área total, estando o terreno cultivado concentrado na zona sudoeste onde ocorre a precipitação mais abundante. As principais colheitas são trigo, milho, tâmaras, laranja, uvas e romã, entre outros. Ainda assim, a auto-suficiência no que toca a cereais é baixa, sendo que o país conta com importações para suprir cerca de 80 por cento da procura doméstica. Além disso, a Arábia Saudita é também o maior país importador de cevada do mundo, comprando cerca de 6 milhões de toneladas todos os anos. Pelo contrário, o país produz 60 por cento da fruta que consume e é produtivo na pecuária, principalmente no que toca a carne de ovelha, cabra e camelo.

Finanças
O sector bancário tem-se desenvolvido de forma célere na Arábia Saudita, com muitos bancos atingindo uma elevada rendibilidade, com o lucro líquido no sector a aumentar 8 por cento. Há 10 principais bancos comerciais na Arábia Saudita, entre os quais o Banco Nacional Árabe, o Banco de Riade e o Rajhi-Invest são bancos nacionais, e os restantes são parcerias com instituições estrangeiras.

Comércio Externo
O país actualmente está a implementar princípios de comércio livre e uma política tarifária preferencial. As principais exportações são o petróleo bem como os seus derivados, que detêm uma quota de 90 por cento do total, enquanto as exportações de produtos petroquímicos e industriais está a aumentar. Por outro lado, a maior parte das importações são máquinas e equipamentos, alimentos, têxteis e produtos químicos. Os principais parceiros comerciais são os Estados Unidos, a China, o Japão, a Coreia do Sul, a Índia, os Emirados Árabes Unidos, a Alemanha e a Itália. Devido à grande exportação de petróleo, o comércio exterior do país tem há muito um superavit.

 

Principais Indicadores Económicos 2016

Produto Interno Bruto (US$ mil milhões) 6,464
Crescimento real do PIB (%) 1.7
PIB per capita (US$) 20,150
Inflação (%) 3.5
Área total (quilómetros quadrados) 2,149,690
População 32,400,000

Fonte: CIA-The World Factbook,
https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/

Principais Destinos de Exportação e Fontes de Importação 2015

Principais Destinos de Exportação %
China 13.6
Japão 11.3
Índia 10.7
Estados Unidos da América 9.8
Coreia do Sul 9.1
Singapura 4.7
Principais Fontes de Importação %
China 16.2
Estados Unidos da América 15
Alemanha 6.3
Japão 5.3
Emirados Árabes Unidos 5
Coreia do Sul 4.3

資料來源: https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/

Comércio Externo em In 2015 and 2016

Ano Total Exportações Importações
2016 311.4 183.6 127.8
2015 362.8 203.5 159.3

Principais exportações: crude e produtos petrolíferos.
Principais importações: máquinas e equipamentos, alimentos, produtos químicos, veículos a motor e têxteis.

Fontes:

1.CIA-The World Factbook, https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook

2.Index Mundi-Country Fact, http://www.indexmundi.com

Balança Comercial China Continental – Arábia Saudita

Ano Total Exportações Importações
2016 42.36 18.75 23.61

Fonte: Ministério do Comércio da República Popular da China, http://mds.mofcom.gov.cn/article/Nocategory/

Comércio Bilateral 2016 Macau – Arábia Saudita

Tipo Peso (KG) Patacas
Importações 53,771,030 331,524,000
Exportações 10,679 2,207,716

Fonte: Direcção dos Serviços de Estatística e Censos de Macau, http://www.dsec.gov.mo/

FONTES
Ministério dos Negócios Estrangeiros da República Popular da China
http://www.fmprc.gov.cn/chn/default.htm

Ministério do Comércio da República Popular da China
http://zhs.mofcom.gov.cn/

Gabinete do Conselheiro Económico e Comercial da Embaixada da República Popular da China no Reino da Arábia Saudita
http://sa.mofcom.gov.cn/

Direcção dos Serviços de Estatística e Censos de Governo da Região Administrativa Especial de Macau
http://www.dsec.gov.mo/

The World Factbook
http://www.cia.gov/

https://www.saudi.gov.sa/wps/portal/snp