Fonte: Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa

A petrolífera italiana Eni está a projectar no mar de Moçambique a segunda plataforma de gás natural liquefeito (GNL) que poderia ser entregue em menos de quatro anos, por forma a dar resposta à procura da Europa para o gás. Mas antes de tomar uma decisão final sobre o investimento, a Eni precisa de dialogar com os seus parceiros, a China National Petroleum Corp., a ExxonMobil Corp. e a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos.

O projecto que está em cima da mesa da Eni complementaria a sua plataforma Coral-Sul FLNG, ancorada na costa norte de Moçambique, que deve começar a exportar este ano.

De acordo com Guido Brusco, COO de recursos naturais da Eni, esta é uma grande oportunidade para desenvolver os recursos de Moçambique e trazer receitas significativas. É também uma grande oportunidade para a Europa diversificar as suas fontes de abastecimento. Nesse contexto, o projecto representa uma enorme janela de oportunidade.