Fonte: Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa

O Instituto Butantan, principal produtor de vacinas no Brasil, entregou, nesta terça-feira à Agência Nacional de Vigilância Sanitária do Brasil (Anvisa) a documentação para o pedido de inclusão de crianças da faixa etária entre 3 e 5 anos nos grupos de pessoas elegíveis para administração da CoronaVac, uma vacina desenvolvida pelo instituto em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Segundo o Butantan, entre os materiais entregues, estão três relatórios de estudos clínicos sobre a segurança e efectividade da vacina para crianças, um relatório de farmacovigilância e um estudo de impacto epidemiológico.

O estudo do Instituto Butantan mostra que a administração da CoronaVac contribui para reduzir 58% da taxa de internamento e 57% da taxa de mortalidade.

Este pedido de inclusão foi inicialmente feito pelo Instituto Butantan no passado dia 11 de Março, na altura, a Anvisa exigiu a entrega complementar de documentos como o relatório de farmacovigilância.