Fonte: Macauhub

São Tomé e Príncipe e a Guiné Equatorial assinaram um acordo para a criação de uma Zona Especial de Exploração Conjunta dos blocos de petróleo e gás ao largo da costa dos países, segundo um comunicado recentemente divulgado pela Câmara de Energia Africana.

A decisão foi tomada durante uma reunião em Malabo entre o ministro das Obras Públicas, Infra-estruturas, Recursos Naturais e Ambiente de São Tomé e Príncipe, Osvaldo Abreu, e o ministro das Minas e Hidrocarbonetos da Guiné Equatorial, Gabriel Mbaga Obiang Lima, segundo o comunicado.

“O acordo surge na sequência de vários acordos de cooperação assinados no ano passado durante a visita oficial do Presidente são-tomense, Evaristo Carvalho, à Guiné Equatorial”, lê-se no comunicado, que dá conta que as explorações “podem começar já em Outubro.”

A nota divulgada recorda o facto de haver já em São Tomé e Príncipe alguns grupos e empresas a fazer prospecção petrolífera na Zona Económica Exclusiva do país, casso do grupo português Galp Energia e da americana Kosmos Energy, que operam os blocos 6 e 11, respectivamente.

O grupo Shell participa nos dois blocos com participações de 20% e 30%, respectivamente, recordando o comunicado o facto de a Galp Energia ter anunciado no início do ano o começo das prospecções petrolíferas no bloco 6, depois da realização de testes sísmicos desde 2017.