Fonte: Macauhub

A Electricidade de Moçambique (EdM) espera concluir até Outubro próximo a selecção do empreiteiro para o projecto Temane-Maputo, avaliado em 550 milhões de dólares, visando garantir que as obras se iniciem em 2021 e fiquem concluídas em 2024, disse quinta-feira em Maputo um quadro da empresa estatal.

O assessor do Conselho de Administração da EdM para as Operações, Luís Amado, disse que a construção da linha de transmissão Temane-Maputo, com uma extensão de 563 quilómetros e uma potência de 400 quilovolts, contempla igualmente a construção de três subestações, uma no distrito de Marracuene (província de Maputo), Chibuto (Gaza) e Vilanculos (Inhambane).

No âmbito deste projecto está igualmente prevista a construção de uma central térmica, alimentada a gás natural produzido nos campos de Temane, com uma capacidade de 420 megawatts, orçada em cerca de 700 milhões de dólares.

O assessor disse ainda que o projecto da linha, que será detido em 100% pela EDM, tem já financiamento disponível, após o compromisso dos parceiros na altura da assinatura do acordo em 2019, entre eles o Banco Mundial, o Banco Africano de Desenvolvimento, OPEP e o Banco de Desenvolvimento da África do Sul, entre outros parceiros.

Apesar da baixa cobertura da rede eléctrica no país, onde apenas 34% tem acesso à energia, a Electricidade de Moçambique adianta que grande parte da energia eléctrica a ser produzida na futura central de Temane será destinada à exportação para os países da região, de modo a ajudar a solucionar a crise energética.

Neste momento, existem pouco mais de dois milhões de moçambicanos com acesso a energia, que corresponde a 34% da electrificação, estando previsto que até 2030 os restantes cidadãos passem a ter acesso através da ligação à rede eléctrica nacional ou de outras fontes, tais como centrais solares e mini-hídricas.