A Cimeira sobre a construção da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Macau, apoiada pelas Empresas Públicas Centrais da China 2019, organizada conjuntamente pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) e pela Comissão de Supervisão e Gestão de Activos Estatais junto do Conselho de Estado, coordenada pela Secretaria para a Economia e Finanças do Governo da RAEM, contando com o apoio do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, teve lugar hoje (dia 16 de Outubro) em Macau. A Cimeira contou com a participação de cerca de 400 representantes de organismos e instituições, designadamente dos ministérios e comissões do Governo Central, empresas públicas centrais, empresas dos Países de Língua Portuguesa e empresas e associações comerciais locais. Durante o evento, foram assinados, entre organismos e instituições oriundos do Interior da China, dos Países de Língua Portuguesa e de Macau, 11 projectos de cooperação, que envolvem áreas como infra-estrutura, investigação científica e formação de talentos.

O Senhor Chefe do Executivo, Doutor Chui Sai On, o Senhor Secretário do Comité do PCC e Presidente da Comissão de Supervisão e Gestão de Activos Estatais junto do Conselho de Estado (SASAC), Dr. Hao Peng, o Senhor Director-geral do Gabinete de Ligação do Governo Popular Central na RAEM, Dr. Fu Ziying, o Senhor Ministro da Indústria, Comércio e Energia de Cabo Verde, o Senhor Eng.° Alexandre Monteiro, o Senhor Vice Presidente Executivo do Banco de Desenvolvimento da China, Dr. Liu Jin, proferiram discurso temáticos.

O Senhor Chefe do Executivo, no seu discurso, destacou que, na última década, o Governo da RAEM tem concentrado na articulação da construção da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Macau com as importantes estratégias nacionais, tendo impulsionado o progresso na construção da Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa através do reforço do planeamento de alto nível, da elevação da eficácia no uso dos diversos recursos e da concretização de medidas. Destacou ainda que, com a promoção aprofundada da construção da “Faixa e Rota” e o lançamento das Linhas Gerais do Planeamento para o Desenvolvimento da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, o posicionamento de Macau enquanto Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa passou a evidenciar as suas vantagens singulares. Macau está a desempenhar plenamente o seu papel mediante mecanismo de cooperação multilateral do “Fórum de Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa”, implementando activamente o “Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial”, por forma a aproveitar, da melhor forma, o secretariado permanente e o centro de formação do Fórum de Macau, sediados em Macau, e promover, ininterruptamente, o intercâmbio e cooperação económico e comercial entre a China Continental, Macau e os Países de Língua Portuguesa. Ao mesmo tempo, por meio da orientação e coordenação da Comissão para o Desenvolvimento da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, o Governo continuará a mobilizar activamente os recursos de qualidade nos sectores económico, cultural, turístico e educacional da RAEM e, com base na optimização e melhoramento de uma série de medidas preferenciais, como redução de impostos e formação de talentos, e pretende introduzir mais políticas de apoio, com destaque para aprimorar as funções de serviço da Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa, envidando maiores esforços na promoção do desenvolvimento mútuo entre o Interior da China, Macau e os Países de Língua Portuguesa.

O Senhor Secretário do Comité do PCC e Presidente do SASAC, Dr. Hao Peng, por sua vez, salientou que, após a primeira realização, em 2017, da Cimeira sobre a construção da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Macau, apoiada pelas Empresas Públicas Centrais da China, nos últimos dois anos, as empresas públicas centrais aproveitaram o papel sustentáculo de Macau para aprofundar a sua cooperação com os Países de Língua Portuguesa nas áreas de recursos energéticos, investimentos e construção de infra-estruturas, tendo acordado em 51 novos projectos de cooperação, envolvendo um montante de 88 mil milhões de yuans, representando um aumento de 15% em relação ao período anterior à 1.a Cimeira. Destacou ainda que as Empresas Públicas Centrais da China irão tirar partido das vantagens de Macau enquanto Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa, aprofundando a nova cooperação no âmbito da construção conjunta da “Faixa e Rota”; aproveitar plenamente as vantagens inovadoras de Macau, aprofundando a nova cooperação no âmbito da construção do motor de inovação tecnológica da Grande Baía Guangdong- Hong Kong-Macau; aproveitar plenamente as vantagens das indústrias características de Macau, aprofundando a nova cooperação no âmbito do desenvolvimento da diversificação adequada da sua economia; aproveitar plenamente as vantagens das Empresas Públicas Centrais da China, aprofundando a nova cooperação na promoção do desenvolvimento próspero e estável a longo prazo de Macau.

O Senhor Director-geral do Gabinete de Ligação do Governo Central, Dr. Fu Ziying, referiu no seu discurso que a Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa permite desenvolver as vantagens únicas de Macau, servir de ponte de ligação fundamental para aprofundar a cooperação económica e comercial internacional. Trata-se ainda de uma Plataforma importante para a implementação da iniciativa “Faixa e Rota” entre a China, Macau e os Países de Língua Portuguesa, e também um ponto de partida relevante para Macau integrar-se no desenvolvimento nacional e promover o desenvolvimento diversificado e adequado da sua economia. As Empresas Públicas Centrais da China constituem uma força essencial na cooperação económica e comercial entre a China e os países lusófonos e na construção da Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Além do mais, apresentou três sugestões: as Empresas Públicas Centrais da China devem aproveitar ao máximo as suas próprias vantagens para aplicar mais recursos; as empresas de Macau e as Empresas Públicas Centrais devem estreitar a sua cooperação, no sentido de “explorar negócios aproveitando os recursos relevantes de outrem”; os Países de Língua Portuguesa devem criar um melhor ambiente de negócios, bem como melhores condições para aprofundar a cooperação económica e comercial a nível internacional.

O Senhor Ministro de Cabo Verde, Senhor Eng.° Alexandre Monteiro, por seu turno disse que, o recurso à Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa ajudará Cabo Verde a aprofundar a sua cooperação com o Interior da China no âmbito do comércio e da capacidade produtiva. Cabo Verde estabelecerá uma zona de cooperação económica marítima e espera-se tornar um importante parceiro estratégico da China na África Ocidental e no Pacífico Central, e também um importante parceiro de Macau.

Já o Senhor Vice Presidente Dr. Liu Jin, salientou que o seu Banco de Desenvolvimento irá aproveitar plenamente as próprias vantagens, proporcionando apoio financeiro integral para as Empresas Públicas Centrais da China participarem na construção da Plataforma de Cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa, dando impulso para que Macau chegue a uma nova conjuntura de desenvolvimento e abertura bilateral com alta qualidade. Sublinhou ainda aproveitar as vantagens de Macau como local da sede do Fundo da Cooperação para o Desenvolvimento entre a China e os Países de Língua Portuguesa, utilizando da melhor forma os recursos do Fundo, designadamente empréstimos para fins específicos, atribuídos para financiar a construção da Plataforma, inovando o modelo de cooperação de modo a promover efectivamente a cooperação empresarial de investimento entre a China e os países lusófonos, e ao mesmo tempo, impulsionando a participação das empresas lusófonas e locais na construção da “Faixa e Rota” e da “Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”.

A Cimeira tem como tema “Avançando para Uma Nova Era de Cooperação e Explorando as Novas Oportunidades de Desenvolvimento”. Após a cerimónia de abertura, realizou-se painel de discussões, dividida em três sessões, tendo os participantes partilhado as suas perspectivas em torno dos tópicos, respectivamente: Empresas Públicas Centrais “+Macau”, trabalhando em conjunto para participar, da melhor forma, na construção de infra-estruturas nos Países de Língua Portuguesa e em vários países ao longo da “Faixa e Rota”; Fazendo bom uso dos serviços financeiros característicos de Macau para ajudar as Empresas Públicas Centrais a expandir o mercado nos Países de Língua Portuguesa; e Combinando organicamente as características de Macau com as vantagens das Empresas Públicas Centrais para criar um motor de inovação tecnológica na Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau.

1

A Cimeira sobre a construção da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Macau, apoiada pelas Empresas Públicas Centrais da China 2019, teve lugar hoje (dia 16) em Macau

2

Assinatura de vários projectos de cooperação durante a Cimeira sobre a construção da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa de Macau, apoiada pelas Empresas Públicas Centrais da China 2019