T1905-7-1

A delegação de empresários macaenses com cerca de 60 pessoas,  liderada pelo Secretário para a Economia e Finanças de Macau, Dr. Leong Vai Tac, e organizada pelo Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), concluiu com êxito a sua participação em conferências e visita de estudo. Durante a estadia no Brasil, alguns dos convidados afirmaram que as funções de ponte exibidas por Macau nas relações sino-brasileiras são ativos importantes.

A delegação de empresários macaenses foi participar no “Encontro de Empresários para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa – Lisboa – 2018” em Portugal e fazer visitas de estudo no Brasil no período compreendido entre os dias 19 e 29 de Junho. Durante a sua estadia em Portugal, a delegação visitou uma zona industrial e logística local e projectos de infraestruturas locais. Durante a sua estadia no Brasil, participou na “Sessão de Intercâmbio para a Cooperação Económica e Comercial Brasil – China –Macau”,  no evento de intercâmbio para a cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e visitou a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN) e startups locais.

O evento de intercâmbio para a cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa atraiu a participação de mais de 140 empresários da China continental, do Rio de Janeiro e de Macau. Durante o discurso proferido pelo Secretário de Fazenda da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Dr. César Augusto Barbiero, este declarou que espera que a visita da delegação de Macaupossa fortalecer ainda mais a ajuda mútua e aprofundar as relações comerciais de ambas as partes. Apontou que a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro tem uma série de projectos de investimento para o exterior e que espera poder atingir todos os objectivos definidos na estratégia da cidade através do estabelecimento das relações de parceiros com organizações internacionais e empresas. Ele acredita profundamente que a cooperação com o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) é benéfica para fortalecer a promoção deste tipo de trabalhos. Além disso, apresentou também a situação de desenvolvimento mais recente no sector económico e comercial do Rio de Janeiro, sendo que o turismo, petróleo, gás natural, entre outras indústrias, possuem uma posição vantajosa e nos anos recentes foram adicionados mais centros de inovação tecnológica.

O Cônsul Geral do Consulado Geral da República Popular da China no Rio de Janeiro, Dr. Li Yang, afirmou que esta visita da delegação não só veio em busca de oportunidades dos negócios, como também em busca de cooperações e veio reforçar as relações entre a China e o Brasil e entre o Rio de Janeiro e Macau. Ele confirmou as funções de ponte exibidas por Macau nas relações sino-brasileiras, que são activos importantes. Referiu que nas relações sino-brasileiras, para além do comércio e economia, há também intercâmbios culturais e de pessoas. Ao mesmo tempo, apontou que em Macau há muitos profissionais bilíngues em chinês e português que compreendem português do Brasil e que se podem tornar numa ponte para a comunicação e cooperação sino-brasileiras.

O Presidente do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), Dr. Jackson Chang, afirmou que o nosso país anunciou várias medidas de apoio à cooperação  económica e comercial sino-lusófona e que simultaneamente a construção de “Três Centros” de Macau como a extensão da plataforma sino-lusófona tem tido avanços progressivos. Destacou que a construção da plataforma de serviços financeiros entre a China e os Países de Língua Portuguesa e centro de liquidação em RMB para os Países de Língua Portuguesa já se classificaram como conteúdos importantes da diversificação adequada da economia de Macau e o desenvolvimento do sector financeiro com características próprias de Macau. Referiu que Macau está a  acolher, com o forte apoio do nosso país, novas oportunidades de cooperação regional no processo da participação na iniciativa “Faixa e Rota” e de construção da Região Metropolitana da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau. Ele exprimiu as suas boas-vindas às elites e representantes empresariais do Brasil para aproveitarem mais e de melhor forma as funções de Macau como plataforma de cooperação sino-lusófona, expandindo negócios no exterior e captando investimentos externos em conjunto com as empresas macaenses, agarrando a valiosa chance histórica da iniciativa “Faixa e Rota” e explorando, assim, um maior espaço de desenvolvimento e cooperação.

Para além disso, a delegação fez a sua presença na “Sessão de Intercâmbio para a Cooperação Económica e Comercial Brasil – China – Macau”. Dr. Jackson Chang exprimiu a sua esperança que o papel de plataforma sino-lusófona de Macau seja desempenhado neste evento, aproximando as empresas e organizações chinesas e dos países lusófonos, incluindo o Brasil, de forma a desenvolverem contactos, intercâmbios e cooperações mais próximos. O Presidente da Federação das Câmaras de Comércio Exterior do Brasil, Dr. Paulo Fernando Marcondes Ferraz, por sua vez afirmou que o Brasil é um parceiro de investimento da China. Referiu que o Brasil tem uma posição vantajosa única, tendo contactos próximos com os Países de Língua Portuguesa. Destacou que as relações económicas e comerciais entre a Região Metropolitana da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e os Países de Língua Portuguesa quebraram as dificuldades culturais do passado e que podem tornar em conjunto as cooperações em realidade na plataforma sino-lusófona de Macau.

Durante o evento, o Chefe de Divisão do Gabinete para os Assuntos Externos da Província de Liaoning, Dr. Qiu Yue, e o Subchefe de Divisão do Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau do Governo do Município de Xangai, Dr. Zhu Ping, apresentaram separadamente a situação económica e comercial das duas regiões e introduziram e promoveram a “1Exposição Internacional de Importação da China”,que se irá realizar em Novembro em Xangai. A visita ao local atraiu a participação de mais de 60 representantes dasorganizações e empresas da China continental, da delegação de empresários macaenses e das empresas locais.