(Fonte:  8.º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de infraestruturas)

Bom dia!

Nos dias 1 e 2 de Junho de 2017, no Hotel Venetian Macao, Macau acolhe o 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas (ou IIICF, na sigla inglesa), numa organização conjunta da Associação de Construtores Civis Internacionais da China (CICA) e do Instituto para a Promoção do Comércio de Macau e Investimento (IPIM), homologado pelo Ministério do Comércio e pelo Governo da RAEM. O 3º Fórum de Cooperação de Infra-estruturas China América Latina organizado pelo Ministério do Comércio, terá, também, lugar durante o mesmo período.

Em nome da Comissão Organizadora do Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas e da Associação de Construtores Civis Internacionais da China (CICA), gostaria de, aqui, expressar os meus sinceros agradecimentos aos caros convidados da comunicação social presentes nesta conferência de imprensa. Vou, em seguida, apresentar o programa do 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas no que respeita os seguintes três aspectos.

  1. Tema do Fórum

O tema do 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas é: “Construir em Conjunto Infra-estruturas Diversificadas, Inovadoras e Sustentáveis com Conectividade Industrial “.

O investimento e construção de infra-estruturas internacionais beneficia, actualmente, de extraordinárias oportunidades de desenvolvimento. A recuperação económica global continua a registar um modesto crescimento e a um ritmo lento, assim, vários países, em todo o mundo, concordaram acelerar o desenvolvimento infra-estrutural de modo a impulsionar o crescimento a curto prazo e estabelecer uma base sólida para um desenvolvimento económico sustentável, a médio e longo-prazo. Por outro lado, a China continua a implementar, de forma activa, a iniciativa “Uma Faixa Uma Rota” e a promover a cooperação industrial internacional, a par dos planos de desenvolvimento dos países periféricos, fornecendo apoio em termos de capital, tecnologia, equipamentos e recursos humanos, e injectar, assim, vitalidade no que respeita a cooperação no âmbito do desenvolvimento de infra-estruturas internacionais.

No Fórum Uma Faixa Uma Rota para a Cooperação Internacional, que já deu por concluídos os seus trabalhos, os responsáveis dos países participantes acordaram melhorar e reforçar a comunicação no que respeita as políticas do governo, inovando os modelos de investimento e financiamento, promovendo sinergias no planeamento e desenvolvimento de infra-estruturas, concretizando um desenvolvimento inclusivo e sustentável.

O desenvolvimento de infra-estruturas inovadoras, a ligação com sectores relevantes e a sustentabilidade são actualmente os temas mais debatidos e na ordem do dia, relativos ao sector da indústria global.

A inovação é a força motriz inicial do desenvolvimento. Nos últimos anos, através da inovação contínua de conceitos, sistemas, tecnologia, métodos de produção e modelos de financiamento, temos em consideração os interesses de todas as partes interessadas para uma solução equilibrada e benéfica para todas as partes, e assim, concretizar um rápido desenvolvimento em cooperação internacional da infra-estruturas.

A conectividade industrial é um importante pilar do desenvolvimento de infra-estruturas. Neste momento, os governos de todos os países preocupam-se muito em ir ao encontro da industrialização interna ao formular o plano global de desenvolvimento de infra-estruturas. O objectivo é que a construção infra-estrutural possa dinamizar o desenvolvimento de indústrias afins e motivar interacções positivas entre os vários sectores industriais. Na implementação da iniciativa “Uma Faixa Uma Rota”, o investimento e cooperação industrial tornaram-se um forte apoio que permite a interacção entre diferentes obras infraestruturais. Actualmente, os empreiteiros chineses estão em fase de explorar activamente o desenvolvimento integrado, investimento e soluções de investimento e construção, bem como modelos operativos comerciais orientados para o investimento – como o estabelecimento de zonas de cooperação económica e industrial no estrangeiro, e, assim, realizar a integração orgânica do desenvolvimento da conectividade industrial.

A sustentabilidade é uma meta importante para a cooperação internacional infraestrutural. O desenvolvimento de infra-estruturas deve ser sustentável, a fim de promover o desenvolvimento económico, desfrutar dos lucros do investimento e ser amigo do ambiente a par do bem-estar social. A Cimeira das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável 2015 aprovou a “Agenda para o Desenvolvimento Sustentável 20130″, confirmando o desenvolvimento sustentável das infra-estruturas como um dos seus 17 objectivos no que respeita o desenvolvimento sustentável.

Neste cenário, definimos o tema do 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas como ” Construir em Conjunto Infra-estruturas Diversificadas, Inovadoras e Sustentáveis com Conectividade Industrial”. Tem um significado forte e prático e reflecte a nova tendência de desenvolvimento e cooperação internacional de infra-estruturas, o desafio encontrado pelos construtores civis chineses internacionais e a nova direcção para a transformação industrial e modernização.

  1. Principal Programa e Actividades do Fórum

O programa do 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas foi concebido de modo a ajustar-se ao tema do certame, abordando os assuntos mais relevantes do sector e a tendência de desenvolvimento. Estabelece uma plataforma de intercâmbio e de cooperação para a indústria internacional que reforça a cooperação e o desenvolvimento conjunto sino-estrangeiro.

A cerimónia de inauguração do fórum no dia 1 de Junho contará com a presença por 55 convidados e altos funcionários a nível ministerial de 43 países e regiões. Depois, os ilustres convidados dos governos, sectores industriais e académicos irão proferir discursos para partilhar opiniões e pontos de vista de vários ângulos sobre cooperação internacional infraestrutural.

As sessões temáticas do fórum serão realizadas na tarde de 1 de Junho, incluindo dois fóruns temáticos “Transformação e inovação: A Via do Desenvolvimento para Infra-Estruturas Sustentáveis” e “Sinergia e Interação: Construção de Infra-Estruturas e Desenvolvimento Industrial”; e o 3º Fórum de Infraestrutura China-LAC organizado pelo Ministério do Comércio. Os ministros das infra-estruturas dos respectivos países, as administrações de instituições financeiras, construtores civis internacionais e organismos profissionais são convidados a participar em seminários sobre inovação a nível de cooperação, promoção do desenvolvimento de construção de infra-estruturas e desenvolvimento de conexões industriais, interligação e cooperação infra-estrutural na América Latina e as Caraíbas bem como a transformação e modernização dos modelos de cooperação da capacidade industrial China-América Latina.

No segundo dia do fórum (2 de Junho), tiveram lugar 14 fóruns paralelos e actividades organizadas pela comissão organizadora.

(1) Abordagem da transformação e inovação de modelos financeiros e modelos comerciais para a cooperação internacional de infra-estruturas. Realizam-se quatro fóruns paralelos com os seguintes tópicos: “Inovação Financeira das Infra-Estruturas e o Papel do Capital Privado”, “Fórum de Líderes de Empresas de Construção Civil Internacionais”, “Integração e Inovação em Projectos Internacionais de Engenharia” e “Administração Empresarial e Operações Globais de Empresas Multinacionais”. As gestões de topo das instituições financeiras internacionais, grandes empresas de construção internacionais ENR250, fabricantes engenharia de instalações e organismos profissionais foram convidados a participar numa discussão aprofundada e partilha de opiniões e experiências.

(2) Diálogo de alto nível de abordagem ao desenvolvimento da conectividade industrial e infra-estruturas de construção. No fórum paralelo “Diálogo entre Ministros e Empresários: Construção de Infra-estruturas e Industrialização em Africa”, ministros do sector das infra-estruturas dos países africanos e representantes de construtores civis internacionais bem como organizações internacionais são convidados a discutir sobre o melhor caminho e prática para o desenvolvimento sinérgico da construção de infra-estruturas e industrialização africana através da implementação da estratégia “Uma Faixa Uma Rota” e cooperação internacional de capacidade industrial.

(3) Abordagem do desenvolvimento sustentável de infra-estruturas. Terão lugar dois fóruns paralelos “Cidade Interligente e Desenvolvimento Sustentável das Infra-estruturas” e “Abordagem do Impacto das Alterações Climáticas e Redução do Carbono na Construção de Infra-estruturas” onde os convidados, donos de obra, consultores de design, construtores civis internacionais, fabricantes de equipamentos e organismos internacionais partilharão as suas opiniões e discutirão os problemas relacionados com uma cidade inteligente, a aplicação de alta tecnologia, construção de infra-estruturas, redução dos índices de carbono e como enfrentar os desafios climáticos globais.

(4) Abordagem dos mercados regionais e individuais e promoção prática da cooperação internacional de infra-estruturas. O fórum deste ano é dedicado aos mercados regionais e individuais que atraem a atenção do sector. São organizados quatro fóruns paralelos, “Fórum sobre a Aliança de Infra-estruturas Reino Unido-China: Oportunidades na África Oriental e Reino Unido”, “Seminário sobre Cooperação Financeira e Capacidade Industrial entre a China e Países de Língua Portuguesa “, “Apresentação de Planos de Infra-estrutura & Projectos sobre Capacidade Cooperação nos Países da CELAC” e “Apresentação de Planos de Infra-estrutura & Projectos sobre Capacidade Cooperação ” onde os convidados e representantes, a nível ministerial, das três regiões e países acima referidos, administrações de empresas de construção internacionais e consultorias internacionais poderão partilhar as suas opiniões sobre a exploração de mercados individuais, desenvolvendo uma interacção sinérgica e cooperação entre as partes interessadas.

Além disso, o fórum continuará com actividades alargadas – “Mesas Redonda para Presidentes de Associações Internacionais”, “Cerimónia de Assinatura do Projecto” e “Conferência de Imprensa”, para apresentar as conclusões do fórum e responder a perguntas da comunicação social.

  1. Destaques do Fórum

Os destaques do programa e atividades do 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas são os seguintes:

(1) Destaque para a cooperação em infra-estruturas da estratégia “Uma Faixa Uma Rota” e publicação de relatórios e índices orientadores. O fórum deste ano irá lançar e anunciar “O Índice do Desenvolvimento de Infra-estruturas na Estratégia Uma Faixa Uma Rota (2017)” e “O Relatório sobre Índice do Desenvolvimento de Infra-estruturas na Estratégia Uma Faixa Uma Rota (2017)”. Baseando-se, principalmente, em estudos aprofundados e avaliação sistemática e análises da situação actual, nas tendências de desenvolvimento, oportunidades e riscos dos mercados de infra-estrutura de “Uma Faixa Uma Rota”, o índice e o relatório servirão como referências úteis para investidores internacionais e construtores explorarem esses mercados. Incluirão as análises e interpretações das situações do desenvolvimento de infra-estruturas em oito países de língua portuguesa.

(2) O primeiro Fórum o Internacional dos Principal Construtores Civis, para promover a cooperação horizontal entre construtores internacionais. Representantes das principais empresas de construção civil ENR250 foram convidados para discutir as oportunidades e desafios enfrentados pelos construtores civis internacionais, no contexto da implementação da iniciativa “Uma Faixa Uma Rota”. Destaques do fórum deste ano será o encontro de elites industriais, os tópicos de discussão, perspectivas e tendências de desenvolvimento e partilha de ideias inovadoras.

(3)Abordagem da conectividade dos planos de desenvolvimento da regiões de “Uma Faixa Uma Rota”, África e América Latina e Caraíbas. Durante o Fórum Uma Faixa Uma Rota para a Cooperação Internacional, os dirigentes dos países participantes acordaram no apoio à iniciativa “Uma Faixa Uma Rota”, para melhorar a interacção e conectividade entre a Europa e a Ásia e promover a abertura de África, América Latina e Caraíbas. Como importante iniciativa internacional, “Uma Faixa Uma Rota” oferece uma grande oportunidade para todos os países aprofundarem a cooperação. O fórum deste ano tem 28 convidados a nível ministerial e representantes de 23 países africanos e, ainda, 11 convidados a nível ministerial e representantes da América Latina e países das Caraíbas para o evento, com o objectivo de promover a política de comunicações, aprofundar a conectividade e iniciar a cooperação em infra-estrutura com África e as regiões LAC.

(4) Destaque para os elementos de Macau. O fórum deste ano convidará seis organizações de Macau como coorganizadores, e, assim, cumpre o objectivo de aumentar a participação da comunidade de Macau. Haverá um “Seminário sobre a Capacidade Industrial e a Cooperação Financeira entre a China e os Países de Língua Portuguesa”; também a “Inauguração da Sede e Cerimónia de Assinatura do Protocolo do Fundo de Cooperação e Desenvolvimento Sino-Português e dos Países de Língua Portuguesa”, terá lugar durante o período do certame, marcando o lançamento oficial do fundo de desenvolvimento em Macau, que disponibilizará consultoria e serviços a empresas de financiamento de projectos. Isto ajudará a China continental e os países de língua portuguesa e as empresas a participarem conjuntamente na iniciativa “Uma Faixa Uma Rota”, aumentando ainda mais o papel de Macau como plataforma de cooperação de negócios, comércio e serviços financeiros entre a China e os países de língua portuguesa. Além disso, o fórum convidou partes interessadas e representantes industriais das províncias e regiões 9 + 2 do Grande Delta do Rio das Pérolas.

  1. Progressos em Termos de Organização do Fórum

Neste momento, a organização do 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas recebeu respostas positivas, com a participação activa da comunidade industrial internacional.

No dia 23 de Maio, 55 convidados a nível ministerial e altos representantes de 43 países e regiões confirmaram a sua participação. Entre eles, contam-se 12 convidados a nível de ministérios e altos funcionários dos países e regiões da região “Uma Faixa Uma Rota” e oito de países de língua portuguesa.

O investimento e o financiamento é um tema central na cooperação internacional de infra-estruturaa. O fórum deste ano ampliou o âmbito dos convites a instituições financeiras internacionais, recebendo respostas muito positivas. Neste momento, representantes das administrações de instituições de desenvolvimento multilateral, como o Banco Mundial, Banco Asiático de Investimento em Infra-Estruturas, Banco de Desenvolvimento Asiático, Banco de Desenvolvimento Interamericano, Banco Africano do Desenvolvimento, Banco Africano de Importação e Exportação, Banco de Desenvolvimento da China, Banco da China de Importação e Exportação; e mais de 40 instituições financeiras nacionais e estrangeiros, tais como o Banco da China, o Banco Industrial e Comercial da China, o Sumitomo Mitsui Banking Corporation do Japão, Banco Islâmico do Desenvolvimento, Banco Minsheng China, Fundo de Cooperação China-LAC, Fundo de Investimento de Cooperação na Capacidade de Produção China-América Latina e Macquarie Capital confirmaram a sua presença no fórum.

Empresas e respectivos sectores ligados à cooperação internacional de infra-estruturas também têm demonstrado grande entusiasmo na sua participação; são, entre outros, proprietários de projeto, tais como a Companhia de Gás e Electricidade da Argélia, o Gabinete de Infra-Estruturas do Ministério das Obras Públicas de Angola, Companhia de Electricidade de Moçambique, Companhia de Portos de Caminhos de Ferro de Moçambique, Companhia dos Caminhos de Ferro do chile, Codelco e Companhia Nacional dos Caminhos de Ferro das Filipinas; mais de 50 empresas internacionais de construção civil ENR250, tais como a China State Construction, China Communications Construction Company, China Energy Engineering Group, and Power Construction Corporation of China; importantes fabricantes de equipamentos de renome, tais como a Caterpillar, Equipamentos de Construção Volvo e Maquinaria Guangxi Liugong; empresas de consultadoria de nível mundial, como a KPMG, Clyde & Co, Simmons & Simmons e a Deloitte Touche Tohmatsu. Prevê-se que o fórum venha a com a presença de mais de 1.500 participantes.

Trata-se de um encontro das elites industriais. A China está, actualmente, a implementar a estratégia “Uma Faixa Uma Rota”, promovendo vantagens e benefícios mútuos bem como soluções inteligentes, onde todos ganham, a nível comunitário, estabelecendo uma plataforma de cooperação de infra-estruturas com interesses para as partes e desenvolvimento comum, implementando, de forma pragmática, a iniciativa global “Uma Faixa Uma Rota” e facilitando a inclusão económica global e o crescimento sustentável. Acreditamos firmemente que o fórum deste ano será outro grande evento industrial para troca de ideias, recolha de informações, descoberta de oportunidades e de cooperação.

O total apoio e interajuda da organização – o Instituto para a Promoção o e o Comércio, é fundamental para os preparativos do 8º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas. Gostaria de expressar o meu agradecimento especial ao seu Presidente, Dr. Jackson Chang, à ilustre deputada Irene Lau e a todos os colegas do IPIM pelo esforço e dedicação. Agradeço, ainda, a todos os elementos da comunicação social que hoje estiveram presentes na conferência de imprensa, pelo apoio e interesse, de sempre, manifestado por este evento..

Obrigado!